pulo

30 de abr de 2011

Maio


Hj é o último dia de abril, maio desponta no primeiro dia da semana, isso é muito, muito bom.

Resolvi que o mês de maio será um mês de mudanças significativas para mim, conhecem o "sacode a poeira e dá a volta por cima"? Vou fazer isso, no cunho pessoal, familiar, social, profissional e tb na moradia.

Na verdade abril foi um mês de molho, me dei o luxo de nada fazer, nada ler, nada pensar; fiquei absorta, perdida no vento, deixando o corpo no automático e a mente desligada, não estava triste ou chateada, estava somente em stand by. Claro que coisas aconteceram, me deram alegrias e tristezas, mas nem por isso me moveram, entende? Faltou o calor do fogo interno queimando forte na fornalha da mente.

Mas em maio será o meu primeiro Dia das Mães e faltará 1 mês para eu colocar o pé na estrada, prometi terminar e iniciar umas leituras esquecidas no quarto, cuidar melhor de mim, da mente, do corpo, ter meus momentos de egocentrismo e egoísmo, pq isso não faz mal à ninguém, rs.

Não será um mês de muitas promessas, com uma lista sobre ter o que fazer, mas tb não será um mês na qual deixarei tudo passar pela minha frente sem prender o meu olhar. Não quero me prender a obrigações, quero me prender ao prazer de fazer coisas para o meu bem estar e de todos à minha volta, simples assim.

Creio que momentos assim, como os meus em abril, fazem bem, pq nos tocamos, pelo menos eu me toquei, que a vida é tanta coisa a mais e que ocupamos nosso tempo com tantas coisas importantes e insignificantes, que quando paramos só para observar o mundo ao nosso redor, percebemos que não somos pequenos, nem insignificantes, mas que somos importantes, grandes, maravilhosas e fazemos falta a quem nos quer bem.

Que meu maio seja pleno, que eu consiga fazer tudo que me dá prazer, que minhas obrigações sejam realizadas com alegria e que as concretizações sejam excelentes prêmios de minha força de vontade e viver; pq EU ME AMO!

E escrevo esse texto, ao som de Moonlight Sonata (Sonata ao Luar) de Beethoven, uma preciosidade clássica num momento como esse...

26 de abr de 2011

Desabafo



Eu to com raiva, sei que isso não deveria me atingir, mas não tenho sangue de barata, eu não gosto de pessoas duas caras, não gosto de pessoas falsas e detesto mais ainda pessoas duas caras, falsa e fofoqueira.

Tudo começou por conta de fofoca, fofoca que fizeram de mim, explico:

Eu recomendei uma pessoa para fazer um serviço na casa de uma amiga, recomendei para ajudar ambos, o cara pois ele é carroceiro e é [era] de confiança, podia entrar na casa, fazer o serviço sem perigo; a amiga pq precisava tirar uns entulhos da casa.

Pois bem, aí foi a merda toda. Esse carroceiro é marido de minha empregada e gosta de um fuxico, aproveitou que estava na casa dessa amiga, agora ex-amiga, e tudo aconteceu.

A amizade com essa amiga estava meio abalada por coisas do passado, coisas que eu provei e ela não acreditou, isso me chateou, mas mesmo assim resolvi continuar com a amizade. Depois veio a gravidez e as coisas se agravaram.

O problema é que muitos estavam me alertando sobre uma coisa que eu sentia, mas teimava em não ver. Cheguei a perguntar se tinha algo errado, trocamos longas cartas via web, mas de nada adiantou.

Pessoas me alertavam ao vivo e tb pela net, mas eu relevava, acreditava ser melhor assim; mas lembra do carroceiro? Pois bem, ele foi a minha gota d'água.

Ele foi fazer um serviço na casa dessa minha amiga e dias depois fiquei sabendo de coisas terríveis que ele escutou na casa dessa pessoa, coisas sobre a minha índole e de meu marido, coisas que ouviu sobre minha mãe, sobre meu modo de ser, que eu amalocava dinheiro, que eu explorava as pessoas ao meu redor, disse inclusive que as dificuldades financeiras que passei durante a gravidez era fingimento, pois eu nadava em dinheiro;  enfim, nada de positivo saiu dali. E sei que ela falou essas coisas, pois ele me contou coisas do passado, na qual só poderia saber mesmo vindo dela.

Quando escutei isso tomei uma decisão, desta vez definitiva, rompi a tal amizade, pq se ela teve a coragem de falar um monte de coisas pelas minhas costas e contando justamente para o marido da minha empregada, o fez seguramente para tudo chegar ao meu ouvido; então, isso não era amizade, era falsidade, pq como falar tão mal de alguém que se diz amar?

Não discuti o assunto com a ex-amiga, pq sou pessoa de dar somente mais uma chance, simplesmente me afastei, me despedi com uma mensagem e a deletei de todos os meus contatos, sejam eles físicos ou via web. Ela nem sabe que o motivo do rompimento foram as fofocaiadas dela com o carroceiro. Não quis falar sobre o ocorrido, ela ia negar, ele ia confirmar e de confusão desse tipo, to fora, pois não leva nada a lugar algum.

Lembram que eu disse que o carroceiro era fuxiqueiro? Pois bem, ele tentou de todas as formas me perguntar sobre o meu distanciamento da ex-amiga, querendo saber pq rompemos, o que eu achava dela, etc e tal; simplesmente respondia que não falo de gente que para mim estava morta e sepultada. Já até escrevi sobre isso por aqui antes, da vontade dele querer saber de coisas sobre a ex-amiga e eu simplesmente não dar corda para o assunto; ele inclusive perguntava para a mulher (minha empregada) se ela sabia de algo ou ouviu algo da ex-amiga ou do marido dela, lógico que ela não sabe de nada, portanto, não tinha nenhuma informação para repassar.

Mas quem gosta de fofoca corre atrás dela, quem gosta de ouvir fofoca, tb gosta de fofocar e aí juntou a fome com a vontade de comer. O carroceiro foi na casa da ex-amiga, sentou na sala dela e adivinhem para o q? Saber mais sobre nosso rompimento, queria saber se ele era o culpado (por me contar o que ouviu), aliás queria justamente tirar o corpo fora. A história que ele ouviu veio aos meus ouvidos (novamente); seu relato era como uma atitude para provar que ele não tinha nada a ver com a história que as coisas que ele contou/contava. Como sempre em nada ele melhorou sua situação ou da pessoa que continuava a falar mal de mim.

Acho incrível como uma pessoa pode continuar a falar mal de alguém que diz querer distância, eu não falo mais dessa mulher, nem quando me perguntam, falo que não a vejo faz tempo e perdi contato; já pedi para os amigos em comum não tratarem nada sobre ela comigo e muito menos quero saber que qualquer coisa relacionada a essa pessoa - mas pelo visto ela insiste e gosta de falar de mim, não entendo isso.

Agora, além de não ter mais contato com a ex-amiga, agora tb não quero contato com o carroceiro e deixei isso bem claro à empregada, ela por sua vez tb é contra a atitude do marido, ela mesma diz que ele é fofoqueiro e falso.

As pessoas falsas eu quero que sumam de minha vida, seja no mundo real ou na web, de gente fofoqueira quero distância absoluta também e tenho dito!!!!

Esse foi meu desabafo, pq isso estava entalado na minha garganta e só escrevendo, colocando para fora, exorcizo isso de dentro de mim!

23 de abr de 2011

Mudanças da maternidade


Dizem que a gravidez muda muita coisa na gente, sempre achei isso uma balela, desculpa de gente que gosta de aparecer ou que usou isso como pretexto para certas mudanças sociais estranhas.

Mas estava enganada, redondamente enganada por sinal.

Sim, algumas coisas mudaram em mim, mudaram drasticamente, a principal: sensibilidade.

Estou muito mais sensível, na verdade me emocionando mais com as coisas ao redor, talvez pq o olhar mudou nesse período...

Percebo que meu olhar mudou para certas atitudes, certos posicionamentos, certas circunstâncias, certas energias, certas presenças, certas crenças.

Não estou virando uma bobona ou manteiga derretida, longe disso, rs; mas é inegável a mudança, como se eu estivesse mais alerta para determinadas coisas e sim, mais emocionada para outras.

Já me peguei com lágrimas nos olhos em situações que antes nem me despertariam atenção, e ao contrário de antigamente, são lágrimas que não tive vergonha em demonstrar.

Como em tudo na vida, podemos mudar um dia de opinião, não é?

Hoje falo com orgulho que a maternidade muda muita coisa na vida, mudou na minha e estou bastante feliz com isso!

18 de abr de 2011

Finds de camelo e tarot


Nesse finds, trabalhei como um camelo!

Já não aguentava mais ver o jardim e o quintal aos cacos, mas tb não estou com dinheiro para mandar endireitar ambos, então o jeito foi colocar a mão na massa.

Depois que o povo capinou tudo e retirou o mato alto e as coroas de cristo, resolvi que ia dar conta do restante, afinal tinha que limpar o terreno e podar a nuvem azul.

O tempo começou ajudando, não estava um solão de rachar, o mormasso dava conta do recado, mas nem por isso deixei de passar o protetor solar no corpo, no rosto, colocar o chapéu e os óculos escuros.

Juntei coragem, respirei fundo e fui para o trabalho.

Como eu sofri, rs, primeiro pq suava como nunca, o calor presente só dificultava as coisas; segundo, a nuvem azul estava maior do que eu imaginava, meus 1,61m não ajudaram muito, hahaha!

Podar a dita foi um custo, pq seus galhos são fortes, e eu brigava literalmente com a tesoura de poda, só depois de um tempo é que peguei o jeito, e aí as coisas melhoraram um pouco, mas só um pouquinho.

Tive uma briga danada com a planta, que com galhos secos teimava em me cortar a pele, na parte de cima ficava na ponta dos pés, mas a planta não ia me vencer, não podia me vencer e não venceu!!!

Cortei tudo como tinha que ser, podei direitinho, acertei a lateral e o topo, tirei a parte que teimava em subir pela churrasqueira e que estava chegando no telhado, agora ela vai crescer novamente, mais firme, mais forte, mais bonita, seguramente a próxima florada será maravilhosa.

Quando acabei, enquanto os braços e os pulsos doiam pelo esforço, não aguentei e fui brincar com o brinquedo novo do marido, a máquina de pressão de água; realmente ela faz maravilhas, limpou o cimento da garagem de um modo inacreditável, o que era preto, voltou a ser cinza!

E isso tudo foi num único sábado, até a hora do almoço!

Claro que ainda falta a parte de trás do terreno, quero com a maquininha limpar os muros dos fundos, o canil, etc e tal; portanto, o feriado será de mais trabalho, como não vou viajar, colocarei a mão na massa novamente, agora dando conta dos fundos da casa.

No domingo, o dia foi oscilante, o humor que começou bem foi se transformando no decorrer do dia, até eu perder a paciência de vez com brincadeirinhas fúteis e entrar em fúria de uma vez só.

Depois fui para a casa de mamy, finalmente dei conta da impressora!!!

A noite voltei para casa, meu compromisso com a Lua Cheia estava de pé, depois de um longo banho relaxante, acendi meus altares e tirei o tarot, seguindo novamente as instruções do Divinare; 3 cartas, sendo 1 arcano maior e 2 menores, depois ver qual são as cartas correspondentes no Kitchen Tarot

E na nova onda de tirada, a coisa fica na seguinte ordem: "o primeiro menor é da onde eu saio, o segundo menor para onde eu vou, e o arcano maior se torna a toada do caminho." palavras de Pietra.

Usei o Tarot das Amigas (Girlfriend's Tarot), presente da amiga-irmã Lú!!!!

Na tirada do arcano maior, saiu duas cartas, deixei; e a coisa está nesse sentido, vou ver se durante a semana penso direito sobre essa tirada, pq já senti que vem mudanças por aí...

13 de abr de 2011

Eu viro sim e vou vivendo....

Postagem minha no blog Caldeirões, Crias e Magia!

Eu viro sim e vou vivendo....



Pois é, sou mãe de primeira viagem, isso todos sabem. Sou educadora, isso tb todos sabem. Mas só pq tenho experiência na segunda parte não significa que isso interfira na primeira, entende?

Essa semana estava conversando com o maridão, sobre as novas descobertas do filhão e que ele aprendeu a ficar de bruços, sozinho.

É bonitinho ver o moleque sorrir, virar de lado, depois de bruços, se levantar e achar isso o máximo, como um grande feito da parte dele (e é, rs). O lance é que aprender a virar, não significa necessariamente saber desvirar, compreendem?

Arthur vira, ri, tenta se locomover, a cabeça pesa, cai, ele ri, levanta de novo e fica nisso por um tempo relativamente longo; ok, eu sei, é uma coisa totalmente normal e esperado pra idade dele (4 meses), mas quando ele cansa, ai minha nossa senhora divina, ele abre o berreiro.

Ele chora pelo fato de querer desvirar e não conseguir, resumindo: não podemos mais deixar o menino sozinho, nem na nossa cama. Agora ele só pode ficar no bb conforto, no carrinho ou no berço, com gente perto pq ele vira até dormindo.

E essa nova fase acaba com meus poucos momentos de sossego, rs, fico de ouvido ligado para tentar descobrir quando ele vira no berço, para obviamente desvirá-lo enquanto dorme. Já acordado são outros quinhentos, ele vira, eu ouço e fico lá com ele, olhando, rindo, babando e dando a devida assistência quando ele cansa.

A mãe de primeira viagem é boba, eu sei, mas vou vivendo e aprendendo....

Mas sou mãe de primeira viagem, não bruxa de primeira viagem...

Arthur estava tendo noites inquietas e escutei que por ele não ser batizado, os pagãozinhos vem atentar ele à noite (O.o).Tive que dizer para a pessoa que eu era pagã, que ele não seria batizado na religião dela e sim, que meu filho já havia sido batizado na tradição de nossa família.

O que fiz? Dei uma boa conversada com os protetores dele no quarto e pendurei alho no berço; as noites de sono voltaram a ser tranquilas e eu posso dormir despreocupada a noite toda novamente. \o/
 

11 de abr de 2011

O preço e a dor do bem-estar


Para quem não sabe, durante a minha gravidez, virei novamente adolescente, meu corpo se encheu de espinhas - braço, costas, rosto; uma coisa terrível, mas que por conta da gravidez, não tinha tratamento, qualquer tipo de remédio, só depois do Arthur nascer, isso se não estivesse amamentando, claro.

Digo nessa época que suprimi a minha porção Diva, pq de diva eu não tinha nada, aceitei a coisa do ser mãe e ter que aguentar essa parada por um longo tempo - corpo maior e com muitas espinhas.

Tentei amamentar, mas tb não consegui, aprendi essa: "Tem crianças que nascem pro peito, outras pra Nestlé." Arthur é a segunda opção!

Filhão tomando Nan, fui para a dermatologista, ela me passou alguns remédios e cremes manipulados, gastei uma baba, mas eu precisava gastar comigo, eu parecia um chokito ambulante, sem contar que sou vaidosa, portanto, a estima já estava no pé.

Tenho tomado os remédios, passado os cremes, mas os resultados demoram, eu sabia disso, eu deveria lembrar disso... ¬¬

Aí vem aquelas promoções coletivas da web, vejo num local em Vitória que tem um tal de peeling de cristal com hidratação e afins, a bagatela de R$48,00 e a clínica é boa.

Não pensei duas vezes, comprei, até para testar a parada e ter a certeza que essas compras coletivas funcionam; melhor investir pouco do que perder muito num calote.

Paguei, o treco funfou, chegou no mail o recibinho e eu podia marcar a data da consulta.

Conversei com a dermatologista, que achou a idéia ótima, até pq ela iria me recomendar esse tratamento, com a diferença que na mão dela cada seção custa R$150,00!!!!

Marquei e fui, quem falar que peeling não dói, está mentindo!

Não é nenhuma dor insuportável, dói mais fazer tatuagem, rs; mas é um treco que incomoda, por ser na face, talvez mais um pouco pela minha ainda sofrer com as inflamações das espinhas teimosas que ainda continuam aqui e por ser bem branquela.

Gente, eu lá, suportando a dorzinha, um misto de "agulhadas", calor, "raspagem" e sucção; a moça me diz: Vc está um pouco vermelhinha...  Já era, quando alguém diz algo no diminutivo, normalmente a coisa já está no superlativo e ela tenta em vão disfarçar, rs.

Me olhei no espelho e estava vermelho pimentão, pq de camarão nem chegava perto, era clarinho, rs.

Quando pensei em me desesperar, ela disse que por eu ser muito branca, a pele respondia assim, mas que ela ia aproveitar e passar um creme com argila, própria para espinhas, que faria milagre em mim; olhei com desconfiança.

E o creme foi porreta! Quando me vi no final do tratamento nem acreditei, quem me visse naquele momento, jamais iria dizer que passei por algum tipo de tratamento facial; minha pele estava branca como de costume, sedosa e lisinha!!!!

Claro que as espinhas mais radicais ainda estavam alí, é tratamento, não milagre para a pele, mas o fato de me ver antes e depois, sim, posso dizer que amei a mudança!

Saí da clínica me sentindo muito melhor, com a estima melhorada, com o poder de Diva renascendo, sem contar um certo ar de madame, por ter feito o tratamento numa das melhores clínicas de Vitória por um preço bem pechincha, hehehe.

Estou feliz, quando puder, quero fazer novamente, recomendo o peeling de cristal, vale realmente a pena sentir uma dorzinha, até pq somos Mulheres com M maiúsculo, e o que é uma dorzinha na face, quando a gente enfrenta dores muito piores por aí, né?

E fica a dica, fazer peeling de cristal é muito bom, comprar pelo Peixe Urbano tb, é confiável!

Bjo!

10 de abr de 2011

Incomodados que se mudem, não é esse o ditado?


No outro dia li um comentário no Twitter, que claro não foi pra mim, mas sabe quando a coisa se encaixa de tal modo que é impossível não acreditar em intervenção divina?

E esse comentário me deixou pensativa por dias, matutando sobre as coisas que acredito, as decisões que eu tomo e principalmente, pelo respeito que tenho por algumas pessoas, além claro, do meu amor próprio.

Hipocrisia não é meu forte, então aproveitando o que li no Twitter, tomei mais uma decisão.

Sinto não pela atitude, mas por deixar de fazer parte de algo que estava gostando muito, pois havia abraçado a idéia como se fosse minha.

Mas é isso aí, não tenho como participar de algo que tem me incomodado; na verdade, depois de ver a coisa por outro ângulo, percebi, que estava sem tesão de escrever por lá, motivado, claro pelos últimos acontecimentos.

Então o que li no Twitter, foi na verdade um alerta, um tapa na cara divinal, a pessoa que escreveu nem tem noção da importância que teve sua escrita na minha vidinha; mas foi graças a ela, que mudei.

Obrigada!!!

Obs: Não vou falar quem escreveu e nem o que foi escrito, polemizar não é um dos meus fortes, graças aos deuses.

9 de abr de 2011

Esse cara as vezes me entende....



"Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o!"

Fernando Pessoa

7 de abr de 2011

Realengo

Estou ainda chocada com o que aconteceu na escola do RJ, impossível não pensar nisso...

Eu acho um absurdo nego que ainda fica fazendo piadinha sobre o caso!!!

Isso foi sério, pode ter gente doida querendo repetir a dose em qualquer escola do país, não é paranóia, mas temos que tomar mais cuidado com o sistema de segurança na entrada das escolas.

Trabalho em escola pública, sei que as pessoas entram e saem facilmente nas EMEF's, tem escolas que nem possuem porteiro, imagina segurança.

Só espero que depois dessa tragédia, os responsáveis da SEDU de cada estado e município, repensem e mudem os sistemas de segurança nas instituições de ensino.

O pior é ver os programas sensacionalistas, mostrando imagens de celular, onde aparecem as pessoas feridas, com roupas sujas de sangue e os gritos desesperados dentro da escola; todo mundo sabe que foi um caso terrível, agora tripudiar sobre a miséria da situação, tenha dó!

Sei que tal caso mecheu comigo, por trabalhar em escola, por ser mãe, por ser cidadã.

5 de abr de 2011

Obrigada, muito obrigada!!!


Ontem a noite eu agradeci; deitada na cama, agradeci muito, com todo o meu amor!

Ontem durante a tarde, eu estava na rua, pegando o meu maridão, pois o médico havia desmarcado a consulta, quando a minha empregada liga; o maridão antende e ele fica surpreso, diz que já estamos voltando para casa e fala para ela ficar calma.

Quando pergunto o que é, ele me informa que nosso vizinho ligou lá para casa, falando para a empregada fechar a casa toda e ficar atenta, pois haviam roubado uma casa em nossa rua.

Ao chegar em casa, enquanto espero a empregada pegar o celular que esqueceu, vou conversar com 2 pessoas que estão no portão do meu novo vizinho. Ao perguntar sobre a casa que foi assaltada, ele me informa que foi a casa dele, a casa do lado da minha!

Ele conta que os bandidos tiveram a audácia de levantar o portão da garagem e o retiraram do trilho, assim facilitando a abertura para roubar os equipamentos eletrônicos. Contou que limparam a casa toda (eles se mudaram a menos de 2 meses para cá), mas ainda bem, nem ele, nem a esposa e nem o filhinho estavam em casa. Os babdidos ficaram com o carro estacionado na rua, para asim colocar os produtos roubados.

Mas relatou que o assalto foi em pleno sol quente, por volta de 13 horas, inclusive ele estava voltando para casa, quando viu o entra e sai em sua casa, despistou e passou direto, fazendo o retorno no final da rua, mas ao passar novamente em frente a casa (pois nossa rua é sem saída), o bandido olhou para ele, retirou a pistola e falou que se chamasse a polícia, eles fuzilariam ali mesmo o carro dele. Em pânico, saiu correndo, mas quando chegou com a polícia, os bandidos já haviam ido embora, e colocaram ainda o portão no lugar para não levantar suspeitas.

Enquanto ele me contava, a empregada chegou e ao ouvir sobre o carro e a cor, ficou branca, falou que viu mesmo esse carro estacionado na frente de minha casa, e viu 3 homens saindo do carro e indo em direção ao casa do vizinho, mas ela jamais suspeitaria de assalto, pois como eles são novos na rua, achou que eram moradores ou amigos da casa.

E a coisa dos bandidos terem parado na frente de minha casa, de meu portão, ficou na minha cabeça; lembro que quando o Arthur nasceu, todos me perguntavam se eu ia dar as cadelas por segurança ao Arthur, sempre disse que não e agora é que tal idéia parece ainda mais absurda.

Meu vizinho tem cerca elétrica como eu, mas de nada adiantou, já que os bandidos entraram pela garagem; eu tenho cadelas, eles não. Por mais moderno que seja o sistema de segurança, o bom e velho cachorro ainda é mais eficiente, pq os bandidos pensam 2 vezes antes de entrar numa casa com cães, pq eles latem, chamam a atenção e se necessário for, os bandidos precisarão gastar munição para matar os animais, o que chama muito a atenção.

Depois de deixar a empregada no bairro dela, fiquei matutando sobre a invasão na casa ao lado da minha, ao sonho de assalto que tive no mês passado, embora a data ainda seja diferente, o que me fará prestar mais ainda a atenção na data sonhada; mas a coisa dos bandidos pararem na frente da minha casa e assaltarem a do lado, sim, é proteção!

Pq faço proteções físicas e tb espirituais, coloco vigias, peço atenção, faço magias, simpatias e espalho coisas no quintal e dentro de casa; nada me tira da cabeça que minhas proteções mágicas surtiram efeito, que elas impediram o assalto, que elas fizeram os babdidos mirarem na casa ao lado ao invés da minha.

E ontem, deitada na cama, eu agradeci muito, por mim, pelo meu marido, pelo meu filho, pela minha empregada, pelas minhas cadelas, pela minha casa.

Agradeci pelas minhas crenças, pelas minhas magias, pelas minhas capacidades e pelo amor recíproco entre eu e meus deuses!!!!

Nekhtet!!!!

4 de abr de 2011

Obsessão


Tudo bem, tal coisa existe, já li sobre ela por aí, já vi tal sentimento corroer pessoas conhecidas, mas nunca, nunca tal coisa havia chego perto ao ponto de querer grudar em mim nesse século.

Sei que a mente humana nos prega peças; quem nunca pensou em quem deveria esquecer, quem nunca ouviu atentamente comentários sobre uma pessoa que detesta, quem nunca viu um desafeto com outra pessoa e não sentiu um sentimento estranho???? Mas isso é curiosidade, uma coisa bem diferente.

Dizem que obsessão tem ligação com o amor... pois é, pode até ter sido iniciado por ele, mas definitivamente, não foi o amor quem o alimentou.

Quando estamos vendo algo de fora da situação, é mais fácil opinar, falar; mas quando é com a gente? No caso, a piora de tudo acontece quando a obsessão é com a gente!

Saber que a pessoa pensa, fala, comenta, ok, é aceitável; mas quando a pessoa só pensa, fala, comenta o tempo todo sobre mim, tem algo estranho no ar, não é mesmo?

Eu já tive meu momento de obsessão, admito, mas foi há tantos anos, quando ainda era uma adolescente, que percebo que tal coisa fútil, não passou de imaturidade, de pensamentos, de sentimentos, de atitudes; e quanto tempo pessoal desperdicei nisso, ô coisa imbecil que fiz!

Mas agora com 34 anos nessa cara porca, não consigo conceber a idéia de perder o meu tempo com obsessão, e sinceramente, não compreendo como alguém na idade adulta, possa ainda fazer isso; sendo comigo ou não.

Tem um lado meu que repudia a idéia de saber que estou na boca desse tipo de pessoa, pq sei que de lá nada de bom vai sair, enquanto o coração estiver negro, duro, pesado; mas um outro lado meu, é favorável ao ditado popular: "Fale bem ou fale mal, mas fale de mim."

E estou nesse "conflito", tendo meu nome na mente, na boca e no coração da pessoa amargurada, com os devidos comentários chegando aos meus ouvidos; não pq a fofoca corre, mas motivado pela vontade da pessoa em fazer de tudo para que eu saiba, fazendo de um trouxa, pombo correio.

E nessa manhã, após escutar mais alguns comentários trazidos pelo trouxa do pombo correio, fiquei matutando e cheguei a conclusão: Coitada da pessoa que ainda não me esqueceu, por desperdiçar o tempo, a energia, a vitalidade dela, criando um campo energético tão pesado, que só vai fazer mal à uma pessoa; ela mesma.

Já falaram para eu revidar, jogar na mesma moeda, me vingar, mas isso não é necessário, não é importante para mim. Não estou me achando superior, eu sou superior, entende a diferença?

Sei que o tal pombo correio, fica doido para que eu fale algo, justamente para ele ter assunto a tratar com a pessoa amargurada, mas da minha boca, até hj, depois de tudo que aconteceu, nada saiu e sinto nele essa frustração de só o escutar. Na verdade me recuso a alimentar essa corrente de energia ruim. Deixe-os fazerem parte dessa corrente, daqui a única certeza que tenho é que quando chega em mim, os elos se enfraquecem e se rompem, pq a verdade é a justiça e Ma'at está ao meu lado.

Eu? Continuo na minha vidinha, com meus amigos, meus amores, minha família, minhas proteções e ouvindo tudo o que me dizem, tento no pensamento um único mantra em relação à pessoa: Vá em paz!

3 de abr de 2011

Oração da Serenidade



"Conseguiremos mudar o que pode ser mudado,
aceitar o que ñ pode e
ter a sabedoria para perceber a diferença entre ambos."

Oração da Serenidade