pulo

16 de ago de 2017

Crente fanático é chato; crente fanático pagão é pior ainda!



Crente fanático é chato; crente fanático pagão é pior ainda!

Nesse meu retorno aos estudos "esquisotéricos", trabalhos mágicos, reconexões e afins; fico de longe observando os demais... afinal de contas, estou em terreno "novo" e preciso compreender como os "nativos" agem, antes de intervir de alguma maneira ou até mesmo, deixar o circo pegar fogo.


E fico cá, nas minhas observâncias, me questionando: pq o povo continua tão chato?


Antes deu "sumir" do mapa, esse povo detentor absoluto da verdade (verdade esta não dita por eles, mas como bom papagaio, repetida por esses), ficavam arrotando "isso" ou "aquilo", dizendo o que se "pode" e o que não "se deve fazer e até o "proibidão pagão".


Eu que nunca fui muito de seguir regras, pq sofro do mal absoluto da aprendizagem (interagir e sofrer as consequências do ato de pensar, sentir e vivenciar); sempre preferi saber o pq não se pode algo e se não pode, pq raios serve a transgressão, rs.


Antes de seguir gurus, sempre segui meus instintos, minha energia e meu medo; pq quem não sente medo é um tolo...


Alguém me dizer que tal coisa não é para o meu bico, que tal ser não é alcançado ou pior, que só fulano de tal com o grau master power é que pode, aaaahhhhh.... é me atiçar, fato.


E eu vejo uma velha guarda repetindo coisas (que hj em dia não acredito mais, pq minha vivência foi outra ou pq meu estudo me levou a outro patamar), levando uma garotada no mesmo caminho de repetências e me questiono: Quem evoluiu? Eu que pulei fora do coletivo ou o povo que continua olhando para as mesmas estrelas sem perceber a mudança no céu?


Com o tempo e idade (maturidade faz milagres) aprendi as duras penas, que cada um tem seu tempo e nem adianta tentar ajudar na maioria das vezes, todo mundo precisa passar pelo mal absoluto da aprendizagem; mais cedo ou mais tarde, isso chega para todos, ainda bem.


Só que perceber nego desdenhando do outro... acho triste!

Ver gente agindo como professor arcaico em sala de aula, podando aluno... acho triste!
Massificando uma pessoa, pq "tem que ser assim"... acho triste!

Nessas horas agradeço ter dado a "louca" e sumido... ser chamada de "insana" e ter largado listas e grupos pagãos - inclusive suas lutas de Ego (nenhuma saudade disso),  ser apontada como a "traidora" por ter me afastado das "amizades", justamente por não concordar mais com elas; enfim... ter me despido do velho em busca do novo em mim!


Tem uma frase que gosto muito: Por mais que o caminho espiritual passe pelo coletivo, ele é sempre só!


Só vc e o Universo.

Só vc e a Divindade.
Só vc e seu credo.
Só vc e por vc.

Coletividade é bom; claro que é!

Ter com quem dividir conhecimentos e vivências é ótimo; é uma via dupla (ou mais) de aprendizado.
Mas no coletivo há o Ego; grande vilão individual.
Obviamente, não sou livre dele!

Admito que preciso internalizar que a coletividade pode ser interessante (novamente), diminuir um pouco as barreiras em relação a isso, saber que podem vir (e deixar vir) coisas boas de terrenos considerados áridos por mim...


Preciso, de fato, aprender a diminuir minha criticidade, ficar calada (inclusive) e deixar o povo errar para aprender o certo, rs.


Sobre os "chatos" que continuam verbalizando as mesmas coisas de uma década atrás, inclusive suas reclamações, suas energias egóicas ou de perseguição.... Bem, a caravana passa (eu estou nela) e os cães continuam ladrando...


Nenhum comentário:

Postar um comentário