pulo

1 de fev de 2018

Amigo Imaginário


Hoje Tutu veio conversar (seriamente) comigo sobre seu amigo imaginário, q possui nome próprio e tudo, rs. Ele já havia comentado sobre ele antes, mas de modo superficial e até vergonhoso. 

Sempre q esse “assunto” aparecia, tentava deixar ele relaxado para me contar o q quisesse; mas ele ficava tímido e saía rindo escada acima para o quarto, animado com seu segredo. 

Mas agora foi diferente; estávamos deitados na cama, naquele momento em q respiramos para relaxar, antes de rezar para dormir. Normalmente nesse horário, batemos um papinho; é aquele momento de conversar só com a mamãe, rs.

Conversa vai e vem, tive abertura para fazer perguntas sobre esse novo amigo.

Tutu tranquilamente me diz que não é uma pessoa, pq ele não possui corpo; explica q vive dentro dele, na sua cabeça, precisamente atrás de seu cérebro.

Contou tb q seu amigo q tem nome engraçado e bem típico para a idade, serve para ajudá-lo a resolver os problemas dos jogos eletrônicos, q dá dicas de como jogar, construir coisas e agir; resumidamente, o amigo que o ajuda a pensar.

Mas q agora esse amigo, q as vezes dorme de dia e a noite fica acordado, vai ter q ficar acordado tb de tarde; pois prometeu ajudá-lo nos estudos da escola nova, pq lá ele (Tutu) ficará mais inteligente.

E eu fiquei lá, escutando atentamente, dando alguns pitacos, levando bronca em outros (pq eu preciso entender o “amigo” dele tb) e imaginando os planos elaborados desses “dois” sobre o futuro q os aguardam.

Obviamente possuo um olhar psicopedagógico sobre isso tudo, sem me esquecer jamais dos ensinamentos esotéricos, místicos, magísticos e espirituais sobre esse tipo de ocorrência; mas uma coisa está bem clara nessa fase da vida, a ansiedade com a escola nova... Ainda mais depois de ter profetizado isso!

Amigos imaginários... O fase boa!

Quem nunca teve o seu, que atire a primeira pedra!



Nenhum comentário:

Postar um comentário